Estudantes de Assis criam sensor de alerta contra enchentes

Estudantes de Assis criam sensor de alerta contra enchentes

A criatividade e o talento de alunos do Sesi de Assis (SP) poderão dar uma grande ajuda no planejamento de contenção de enchentes na cidade. Eles desenvolveram um sistema de sensor que quando colocado em locais de alagamento avisa se o nível da água passa do limite. A ideia é tentar resolver os problemas da mobilidade urbana em dias de alagamento.

Estudantes de Assis criam sensor de alerta contra enchentes“Inundações são constantes na nossa cidade e é um dos problemas mais enfrentados pela população e pela prefeitura. O sensor tem como objetivo diminuir os prejuízos para as pessoas afetadas pela enchente, além de orientar a locomoção de forma segura”, diz a estudante de 13 anos, Maria Victória Soares de Souza. Os alunos criaram um sistema de sensor de água que funciona quando as inundações atingem um determinado nível, os sensores enviam a mensagem para uma central, que cria rotas alternativas para o deslocamento dos veículos na cidade.

Na maquete, a aluna simula o nível de água acionando o sensor. Na central, em miniatura, o “rosto feliz” dá lugar a uma mensagem avisando que determinado ponto está alagado. Seis adolescentes fazem parte do grupo responsável pela pesquisa, programação, desenvolvimento do sistema de sensores e construção da maquete.

De acordo com as pesquisas do grupo, 5.5 mil sensores teriam que ser instalados em pontos estratégicos de Assis. Para colocar o projeto em prática, o poder público precisaria gastar R$ 1,3 milhão. A Secretaria Municipal de Obras tem um mapa com os locais de alagamento no município. A maioria está no centro.

“Obras de drenagens e galerias são procedimentos caros. O município não tem condições de resolver tudo de uma vez só, então, faz por partes. Obrigatoriamente é preciso dar atenção aos pontos que ficam alagados devido às chuvas fortes e com isso, de acordo com os recursos disponíveis, fazemos pequenas obras”, ressalta o secretário de Obras de Assis, Valter de Souza filho, que pretende conhecer o projeto desenvolvido pelos alunos do Sesi.

De acordo com o sargento do Corpo de Bombeiros Antônio Sérgio de Souza, o sistema criado pelos alunos do Sesi pode auxiliar a população em dias de inundações. “Vai ser uma ferramenta ótima já que a população poderá evitar os pontos baixos da cidade. Quando o índice de chuva é muito alto esses locais tendem a formar piscina de águas o que se torna intransitável, ou seja, o sensor seria uma ferramenta de orientação”.

Solução COMAT

A Comat Brasil, possui em sua gama de produtos a linha SMS já utilizada para controle de nível, pressão, vazão de água em grandes companhias de Óleo e Gás, Mineradoras além de companhias de abastecimento de águas e saneamento. E já estava trabalhando em uma solução de baixo custo para o combate e alerta de enchentes que é uma realidade de nos principais municípios brasileiros.

“Ficamos sensibilizados com os deslizamentos na Região Serrana do Rio de Janeiro em 2011 e começamos a pensar em como poderíamos com a nossa tecnologia auxiliar as pessoas afetadas pelo problemas das chuvas e desmoronamentos.”, da sensibilização nasceu um projeto interno para minimizar os impactos e perdas decorrentes de chuvas e enchentes “não podemos impedir a chuvas, os deslizamentos e as enchentes, mais podemos fazer com que a população saiba antes e possa evitar que centenas de pessoas percam a vida por falta de informação”, segundo o Diretor Comercial Brasil e América Latina Jefferson Duarte.

O SMS Relay é um produto patenteado e produzido pelo grupo desde 2003 na fábrica Suíça, hoje vendido em mais de 60 países e que auxilia em controles de processos industrias, mas vem ganhando força para aplicações de auxilio e prevenção e manutenção da vida.

Compartilhe isso